Voltar

Notícias

Gaúchos criam fintech para garantir segurança em operações com boletos bancários

A plataforma, única no país, deverá contribuir para diminuir o crescente número de fraudes no setor.

09 de julho de 2018

Gaúchos criam fintech para garantir segurança em operações com boletos bancários

As fraudes com boletos bancários somaram R$ 383 milhões em 2016, de acordo com dados oficiais da Febraban. Porém, informações extraoficiais dão conta que o volume é ainda maior. Por isso, empresários gaúchos lançaram em maio deste ano a fintech Boleto Protegido. O objetivo é garantir a segurança nas operações deste tipo, responsáveis por grande parte das principais transações comerciais do Brasil. Atualmente estima-se que sejam emitidos, anualmente, cerca de quatro bilhões de boletos em todo o país, ou seja, 17 vezes a população brasileira, o que comprova a sua importância para os negócios e para a economia e a dificuldade do controle da autenticidade dos mesmos.

De acordo com o sócio fundador, Flávio Paim, a ferramenta com tecnologia inovadora e revolucionária, única no país, realiza a autenticação dos boletos através do CNAB e do Certificado Digital (E-CNPJ/E-CPF) do emitente e, o consumidor, ao receber um boleto por e-mail ou pela caixa de correio, consulta na plataforma segura e confiável a autenticidade e veracidade do mesmo. “O Boleto Protegido funciona como um portal de internet e não há a necessidade de instalar nenhum software ou equipamento. É uma forma simples, prática, segura e rápida sem complicar o processo de quem emite boletos e de quem deseja consultar os mesmos”, disse.

Qualquer empresa que utilize o Certificado Digital para emissão dos boletos e opere um dos bancos compatíveis com a tecnologia, poderá se beneficiar da plataforma. Atualmente, a tecnologia está disponível para os principais bancos brasileiros. Entretanto, para o boleto seja localizado é necessário que a empresa cedente o cadastre no portal. “Assim, caso ao realizar a consulta o consumidor não consiga identificar o mesmo, ele pode solicitar ao seu emissor que passe a utilizar este serviço, a fim de garantir a transparência e segurança nas operações”, ressaltou.

A tecnologia já está disponível. Interessados devem procurar mais informações no endereço: www.boletoprotegido.com.br.